sexta-feira, agosto 12

Análise - Silent Hill: Homecoming




Mesmo com o nosso querido Pyramid Head, será que o jogo vale a pena?



Ano do Lançamento: 2008

Direitos: Konami

Plataforma: Xbox 360, Playstation 3 e PC

Gênero: Survival Horror e Terror Psicológico



Enredo:



Alex Shepherd, é um soldado que foi ferido em batalha, que recebeu alta recentemente do hospital. Resolve voltar para sua cidade natal Shepherd's Glen, para visitar sua família, e tirar o seu irmão Josh daquela cidade, sendo assim Alex consegue carona com um caminhoneiro.
No meio do trajeto adormece e tem um estranho sonho com seu irmão Josh.
Chegando à cidade, Alex se depara com um cenário completamente deserto, e com uma forte neblina sobre a cidade.
Mesmo assim segue para sua casa, chegando lá encontra sua mãe, e está não esboça nenhum tipo de sentimento ao ver seu filho que não via a anos, depois de um pequeno diálogo  pergunta sobre seu irmão Josh, sua mãe lhe responde que ele desapareceu, Alex então resolve procurá-lo.
Procurando seu irmão, Alex descobre os mistérios que envolvem o sumiço de seu irmão.





Prós do Game:

- História consegue despertar a curiosidade do jogador, assim o prendendo até o final do game.

Contras do Game:

- Ausência de Terror

- Jogabilidade estranha e que descaracteriza muito Silent Hill.

- Inimigos ridiculamente fáceis de matar ou de se escapar.

- Gráficos muito instáveis, às vezes bons, e às vezes ruins com bastante serrilhados.

- Diálogos idiotas.

- Cutscenes chatas.

- Um inútil sistema de escolha de respostas, que alteram em nada a trajetória do game.




Opinião Pessoal

Bom, esse jogo veio com a idéia de transformar a jogabilidade do game, e proporcionar uma “nova” experiência ao jogador... Preciso nem dizer que deu mer@# né?

Como RE4 (Resident Evil 4), SH: Homecoming (Silent Hill) é mais voltado para a ação, à até um modo de combate, em que o jogador fica em uma postura de luta, assim facilitando a batalha contra os inimigos, também preciso nem dizer que está idéia de jumento, não agradou em nada os fãs né?

As únicas coisas que são realmente de SH é a clássica lanterna, o nevoeiro sobre a cidade e o rádio que chia quando um inimigo se aproxima, porque o resto foi totalmente descaracterizado.



Os “monstros” que enfrentamos no jogo são extremamente burros e sem criatividade, chegaram até descaracterizar as clássicas enfermeiras, que de um monstro que causava incomodo graças ao seu jeito de se movimentar, se transformou em um monstro sensual (wtf?), as enfermeiras em Homecoming são EXTREMAMENTE GOSTOSAS, em vez de matá-las você sente excitação por elas, e pensa seriamente em prática de necrofilismo!

Mas mesmo com todos esses defeitos, não é o pior jogo do mundo, mas que é o jogo mais fraco da série, isso é.





Curiosidades:

-
O caminhoneiro que nos dá carona se chama Travis Grady, e é protagonista de Silent Hill: Origins.

- O Ursinho que pegamos para o Josh em nosso pesadelo, também aparece em Silent Hill 3.

- O nome da cidade natal de Alex (Shepherd's Glen) possui o sobrenome do Alex porque um antepassado dele ajudou a construir a cidade.

Dados Finais:

Gráficos: 7
Jogabilidade: 7
Som: 8
Dificuldade: 5
História: 6.5

Nota Final: 6.7

5 comentários:

  1. Não concordo com esta análise por vários motivos.
    Os inimigos não são fáceis de matar. Só se você jogava no Fácil. Tem aquelas aranhas que são super difíceis de se matar, praticamente só com Pistola.
    Tem algumas Nurses que não dão pausa. Alguns inimigos fazem um ataque pré-definido, como, dois ataques e uma pausa. Mas têm algumas enfermeiras que NÃO PARAM, você está fodido de um jeito ou de outro.
    Esse negócio de enfermeiras gostosas, e vontade de comê-las ¬¬' nada a ver, são as mesmas do Origins. E elas se movem conturbadamente.
    Eu não considero o sistema de escolha de respostas inútil. Ele foi acrescentado para ser dinâmico, diferente, e pra dar profundidade na história. Para que o jogador se sinta dentro da situação. E acho que foi muito bem adaptado.
    O jogo tem bastante terror sim. Basta encontrar. No hotel, no cemitério? Isso tem terror!
    A jogabilidade não é estranha. É uma bosta, como qualquer Silent Hill. A única coisa de nova é que tem como desviar dos golpes. Alex é um bosta com armas, como deve ser.
    Gráficos: não compare gráficos de Silent Hill. Perceba que no Silent Hill 1, era uma bosta, gráficos quadrados e mal feitos, se tivesse sido feito nos tempos de hoje. E Silent Hill 1 é considerado por MUITOS o melhor game da saga.
    Na minha opinião, o Homecoming é um dos melhores e o pior é o 4.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, achei um jogo bastante tenso. Nunca tinha jogado um silent hill antes e me agradou muito este. Trouxe terror, surpresas desagradáveis e muita tensão. Fiquei muito satisfeito com o jogo

      Excluir
    2. Pow eu achei que o jogo faltou algumas coisas que poderiam deixá-lo muito melhor.
      Mas os méritos do game são realmente ousados e alguns ficaram ótimos.
      Como por exemplo você não poder carregar uma caralhada de itens consigo. É preciso pensar bem o que vai levar se vale a pena levar.
      O Silent Hill não é game com jogabilidade boa (Combate), e acredito que é proposital, pois em uma situação real seria difícil uma pessoa lidar com aquelas criaturas abstratas. O fato que o jogo permite que você se defenda, mas a idéia é evitar sempre que possível.

      Eu questionava a jogabilidade e realmente acho que poderia melhorar. E não acho que isso é desculpa. Mas me permitiu ficar ainda mais dentro da história, pois naquela situação eu evitaria o máximo possível o perigo. Ainda mais com o psicológico minado...

      Bom o jogo não é ruim, mas acho que deveriam ter mais cuidado com alguns aspectos.

      E Silent Hill 4 realmente de todos é o que menos gosto. Mas acho um jogo fantástico, a proposta é bem interessante. Acho que o maior problema foi colocá-lo com o nome Silent Hill 4.
      E pelo que li a muito tempo atrás o The Room era para ser um jogo a parte, mas resolveram usar os elementos da franquia para compor um tipo de continuação.
      O game tem seus méritos e estes nenhum dos outros jogos possuí.

      Excluir
    3. sou obrigado a Concordar, mesmo achando homecoming mais arcade ele é fiel ao charme da franquia, apresentou uma atmosfera que se aproxima da trilogia sem contar que os gráficos são decentes comparado com o 1º, origins e o shattered memories.

      A jogabilidade é mais fluída ao mesmo tempo "quebrada" propositalmente, isso é uma forte característica de SH. Esse jogo foi uma bela inovação da saga, possui os elementos cruciais : trilha sonora, nostalgia, simbolismos e tensão constante. As puzzle-batalhas dos chefões são memoráveis, na minha opinião o homecoming foi o melhor horror-jogo do xbox em 2008. Só perde pra trilogia.

      os Críticos não entendem que a Double-Hélix realmente acrescentou uma obra prima à série, eu ainda considero esse jogo um marco na nova geração de SH.

      Excluir